Garantia de saúde única na produção animal
Garantia de saúde única na produção animal

O Brasil continua em alta no mercado mundial de proteína animal.  Segundo o Ministério da Agricultura, até 2020, a expectativa é que a produção nacional de carnes suprirá mais de 44% do mercado mundial. A excelência das granjas brasileiras coloca o país como terceiro maior produtor de carne de frango e o quarto maior produtor de carne suína do mundo.

 Da porteira para dentro, grande parte do sucesso da produção é garantida graças ao trabalho dos médicos veterinários que atuam na sanidade do rebanho,  produtividade e sustentabilidade ambiental. Atuando em frigoríficos, matadouros e laticínios, por exemplo, o médico veterinário também tem papel fundamental na inocuidade e qualidade dos produtos de origem animal consumidos pela população.

A interdependência entre as saúdes humana, animal e ambiental é chamada de Saúde Única. A Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) estima que 60% das doenças infecciosas humanas têm sua origem em animais, domésticos ou selvagens.

A mastite, inflamação da glândula mamária das vacas, é responsável por grandes perdas econômicas na cadeia produtiva do leite. Além de reduzir a produção, gera gastos com medicamento, descarte do leite e até morte do animal. A doença representa também um risco potencial à saúde humana caso o leite contaminado seja ingerido pela população.

A preocupação ambiental também faz parte do trabalho dos médicos veterinários na produção. Programas de reflorestamento, reciclagem e destinação de resíduos, preservação de recursos hídricos e descarte correto de embalagens significam preocupação com a Saúde Única.

Uma iniciativa de Saúde Única visa promover a cooperação e colaboração entre médicos veterinários e demais profissionais de saúde e meio ambiente para promover a saúde e o bem-estar de todas as espécies animais e vegetais.

A Medicina Veterinária mostra a importância do seu trabalho para a Saúde Única por meio dos serviços prestados à sociedade, no cuidado com a saúde e bem-estar de animais, preservação da saúde pública e em atividades voltadas para garantir a sustentabilidade ambiental do planeta.

O profissional médico veterinário tem conhecimentos que o capacitam a planejar e executar medidas de prevenção e controle de enfermidades, ajudando a manter os níveis de saúde da população elevados.

Além disso, sua formação básica em ciências biomédicas, com conhecimentos nas áreas de epidemiologia e saneamento ambiental, o torna apto a desenvolver atividades que antes eram comuns apenas a outros profissionais das equipes de saúde coletiva. A participação dos médicos veterinários nas ações e programas de saúde é recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

O Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) defende um esforço de educação, pesquisa e comunicação entre as diferentes áreas envolvidas na Saúde Única com o objetivo de formar profissionais capazes de atuar na saúde pública e de informar as pessoas sobre a importância de se preocupar com a Saúde Única.

Pensando na atuação indispensável do médico veterinário na saúde humana, animal e ambiental, o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) adotou a Saúde Única como mote de sua campanha do Dia do Médico Veterinário de 2015, comemorado em 9 de setembro, para lembrar a importância da aplicação do conceito no Brasil e do trabalho multidisciplinar na atuação do médico veterinário.

A campanha mostra que a atuação do médico veterinário está presente em diversos detalhes do cotidiano das pessoas e que suas ações podem fazer a diferença na saúde global.

 

Assessoria de Comunicação do CFMV, em 14 de setembro de 2015

http://portal.cfmv.gov.br/portal/noticia/index/id/4350

 

topo