how to stream super bowl 2021

Mais dois cães no MAPA
Mais dois cães no MAPA

    Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) conta com mais dois cães para reforçar a fiscalização agropecuária brasileira em portos, aeroportos e postos de fronteira.

    Os dois cães, que são da raça pastor belga malinois, comporão a equipe do Centro Nacional de Cães de Detecção (CeNCD) do Ministério da Agricultura e serão utilizados pela Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro). O MAPA já dispunha de quatro cachorros (Léo, Frida, Meg e Vamp).

    Segundo a Secretaria de Defesa Agropecuária “os animais são uma ferramenta ágil e versátil nas buscas de produtos de interesse agropecuário de ingresso proibido no Brasil ou controlados. Eles atuam nas fiscalizações de passageiros, bagagens despachadas, bagagens acompanhadas, encomendas em correios e cargas de material importado”.

   O MAPA ainda receberá mais oito animais para compor as novas equipes K9 a serem criadas em atendimento às demandas do Vigiagro. Estes cães são fruto de um projeto conjunto do CeNCD com o Ministério Público do Distrito Federal e dos Territórios (MPDFT), no qual os animais selecionados foram adquiridos com recursos financeiros originários de uma ação judicial conduzida pelo MPDFT.

    A seleção de um cão farejador começa com a avaliação do canil fornecedor para verificação das condições de higiene e estrutura do local e a escolha do animal passa por uma avaliação comportamental, com testes em locais públicos, e física com a realização de exames laboratoriais veterinários.

    “O cão precisa ser saudável fisicamente, ter porte e musculatura adequadas para desempenho de atividades físicas. É também necessário ser um cão de fácil aceitação de aprendizado e de comandos, ser calmo e tranquilo, e ter uma alta possessividade com brinquedos”, detalha o Auditor Fiscal Federal Agropecuário Romero Teixeira. Segundo suas informações o cão gasta em média 3 segundos para fiscalizar um passageiro e bagagem, e 20 segundos um container de carga, sendo de alta eficiência como ferramenta complementar de identificação de produtos na fiscalização.

    Um novo cão leva em média de 3 a 8 meses para ser treinado o faro em odores de produtos agropecuários que possam ameaçar a produção nacional, como frutas, carnes, queijos, mel, entre outros, além de treinamento de socialização.

Fonte: SDA/MAPA

 

 

topo